Amarildo Félix provoca em 50 poemas

“Literatura afeminada”, terceiro livro de poesia do dramaturgo e psicanalista sergipano que se define como 'poeta negro cisgênero gay nordestino', tem apresentação de Marcelino Freire

 

Terceiro livro de poesia do escritor, dramaturgo e psicanalista sergipano Amarildo Felix, Literatura afeminada (Folhas de Relva, 86 pp, R$ 45,90) é daqueles que não deixam nenhum leitor indiferente. É uma provocação em versos de um artista que se define “poeta negro cisgênero gay nordestino”. Os 50 poemas podem ser lidos como uma espécie de autorretrato do autor. No poema que serve de apresentação da obra, Marcelino Freire fala de “renascimento, de reconhecimento... que não deixa as coisas paradas”. Na orelha do livro, Jurandy Valença escreve que Amarildo Felix “incorpora um Macunaíma urbano do século XXI, revisitando à deriva a cidade, a noite, os bares e quartos quaisquer... que reverbera o uivo de Allen Ginsberg”. Felix já publicou Sotaque/sintoma (2017) e O desmonte (2019), os dois pela Patuá.


Fonte: Amarildo Félix provoca em 50 poemas | PublishNews

Categoria:Literatura